Elétrico ultracompacto Renault Twizy está liberado para rodar nas cidades brasileiras


Enquanto as opções de veículos elétricos ao redor do mundo são grandes, no Brasil ainda ficamos restritos a alguns poucos (e caros) modelos. Mas isso pode mudar se a Renault der andamento a produção dos ultracompactos Twizy no país. Ao menos, sinal verde do Contran a montador já tem.

O carrinho que tem lugar para motorista e um passageiro atrás, foi enquadrado como quadriciclo, podendo circular pelas cidades, mas não pelas rodovias. A velocidade máxima de 75Km/h não é problema para uso urbano onde praticamente inexistem vias com limite superior a esse número e a autonomia de 100Km é também mais do que suficiente.


Com uma bateria de 6.1kWh, sua recarga demora apenas 3,5 horas ligado em uma tomada 220v comum – é só chegar a noite e plugar.

Calculando pelos valores da Eletropaulo (companhia de energia de São Paulo/SP), uma pessoa que circula 20 Km por dia gastaria cerca de R$ 46,00, enquanto em um veículo movido a gasolina, com consumo de 14Km/L ao preço de R$ 3,399/L (média na mesma cidade) seriam aproximadamente R$ 146,00.


Além da economia financeira, é bastante óbvia a vantagem ecológica de um veículo elétrico frente aos movidos por combustíveis. Soma-se a isso o impacto positivo no trânsito de carros que ocupam menos espaço na via, como este de apenas 2x32m de comprimento (37cm menos que o Smart Fortwo) e 1,19m de largura.

Na Europa foram vendidas 4 mil unidades apenas no mês de lançamento. Seu preço atual é de 8 mil Euros em Portugal, por exemplo. Ainda não há preço ou previsão de venda do carro em terras nacionais. Até o momento apenas 32 unidades estão sendo montadas em uma parceria da companhia francesa com a Itaipu Binacional, e os veículos circularão apenas dentro da empresa. 

Fonte: Estadão

Postar um comentário

0 Comentários