Células solares ultra-finas podem facilmente dobrar ao redor de um lápis


Esta película fotovoltaica flexível, feita por pesquisadores na Coréia do Sul, poderia fornecer energia para eletrônicos portáteis.

Cientistas na Coreia do Sul fizeram uma película fotovoltaica ultra-fina flexível o suficiente para envolver um lápis médio. As células solares dobráveis poderiam fornecer energia para eletrônicos portáteis como rastreadores de fitness e óculos inteligentes. Os pesquisadores relatam os resultados na revista Applied Physics Letters, da AIP Publishing.

Os pesquisadores fizeram as células solares ultra-finas a partir do semicondutor arsenieto de gálio. Eles estamparam as células diretamente sobre um substrato flexível sem utilizar um adesivo que iria adicionar espessura ao material. As células foram então "soldadas a frio" ao eletrodo sobre o substrato por aplicação de pressão a 170 Graus Celsius e derretendo uma camada superior de material chamado de fotorresistente que atua como um adesivo temporário. O fotorresiste mais tarde foi desfeito, deixando o metal direto à ligação metal.

A camada inferior de metal também serviu como um refletor para direcionar os fótons perdidos de volta para as células solares. Os investigadores testaram a eficiência do dispositivo na conversão de luz solar em eletricidade e descobriram que era comparável à células fotovoltaicas mais grossas semelhantes. Eles realizaram testes de flexão e descobriram que as células poderiam envolver em torno de um raio tão pequeno quanto 1,4 milímetros.

"As células mais finas são menos frágeis sob flexão, mas funcionam de forma semelhante ou até mesmo um pouco melhor", disse Lee.

As células finas podem ser integradas em armações de óculos ou tecido e podem impulsionar a próxima onda de eletrônicos vestíveis, disse Lee.

Fonte: Science Daily

Postar um comentário

0 Comentários