Maior poluidor do mundo, China investe em energias limpas


Todos os anos com a chegada do inverno no hemisfério norte, testemunhamos grandes nuvens de poluição que se formam na China por consequência de seu intenso processo de industrialização que utiliza de energias fósseis, principalmente o carvão; do tráfego intenso, com carros movidos a gasolina e diesel; e do uso de combustíveis sólidos, como lenha, para aquecimento nas casas.

Seu grande crescimento econômico, exige um grande consumo de energia e recursos naturais, atualmanete, a China sozinha consome cerca de 14% da energia mundial, sendo que grande parte deste consumo é na forma de carvão mineral. A dependência do carvão, que representa 64% do consumo energético do país, tornou o país o maior emissor de CO2 do mundo, segundo dados de 2015. 


Nos últimos anos os índices de partículas no ar, se tornaram preocupantes e obrigaram o governo chinês a reconhecer o problema e anunciar providências que reduzam as emissões. Ainda, a China é o país com o maior número de mortes ligadas à poluição do ar no mundo, 1 milhão de pessoas morrem prematuramente por ano no país por este motivo.

Por ser uma grande potência mundial , a China que é grande emissor de gases poluentes, vem investindo intensamente em produção de energia renovável sendo hoje, líder no mercado, superando a Alemanha. Isso mesmo, o país que tem o pior índice de poluição do ar, é também o maior produtor de energia limpa do mundo. 


O investimento em energias renováveis se deve principalmente à crise de poluição atmosférica no país. Cerca de 20 das 30 cidades mais poluídas do mundo estão na China e, para alcançar essas medidas, o país tem realizado investimentos em energia limpa, com destaque para as energias eólica e solar. Esse plano visa também promover a autoridade chinesa na indústria de renováveis, gerando crescimento econômico, novos empregos para o país e diminuição gradativa nos custos de energias renováveis.

No ano de 2012, a China investiu mais em energias renováveis que todos os países europeus juntos, em 2013 a aposta em renováveis continuou e transformou o país em líder mundial de investimentos em energias renováveis, gastando um total de 56,3 bilhões de dólares. Em 2014, o país investiu 90 bilhões de dólares em recursos renováveis, mais que qualquer outro país. Tais investimentos entre 2011 e 2015 fizeram parte do 12º Plano de Cinco Anos para o Desenvolvimento Econômico e Social do governo chinês, o qual previa um gasto de 473,1 bilhões de dólares em energia limpa até 2015.


Segundo o relatório divulgado neste mês, a capacidade fotovoltaica chinesa mais do que dobrou no final de 2016 subindo para 77,42 gigawatts, com um acréscimo de 34,54 gigawatts. Até 2020, o país pretende instalar mais de 110 gigawatts em energia solar, investindo cerca de 360 bilhões de dólares no projeto.

A China tornou-se também o maior produtor de energia eólica do mundo, implantando milhares de turbinas no oeste da China e construindo inúmeras fazendas solares no Deserto de Gobi. Além disso, o país também é o maior produtor mundial de energia hidrelétrica, com suas represas representando metade do total mundial.

Mas, apesar desses investimentos recordes em energias renováveis como a eólica, hidrelétrica e solar, sua demanda energética é muito grande, e por consequência, a produção energética chinesa ainda continua dependente do carvão.

Postar um comentário

0 Comentários