Exposol 2017: Emater/RS-Ascar apresenta Energia Fotovoltaica como alternativa no meio rural


Utilizar os recursos naturais em benefício da gestão econômica e ambiental nos estabelecimentos rurais, de forma sustentável, tem sido alternativa para muitos agricultores nas diferentes atividades realizadas em suas unidades de produção familiar. Neste sentido, a Emater/RS-Ascar irá apresentar na Exposol 2017, feira que inicia na próxima sexta-feira (28/04) em Soledade, algumas das possibilidades de aproveitamento da energia fotovoltaica.

Segundo a extensionista social e chefe do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar de Soledade, Juliane Pires da Conceição, o sistema de Energia Fotovoltaica será instalado na área externa, em frente ao Pavilhão da Agroindústria Familiar, para a demonstração do funcionamento de uma bomba d’água submersa. "Essa bomba irá funcionar através de uma placa fotovoltaica, na qual os técnicos estarão orientando sobre o uso desta tecnologia e formas de financiamento. Este tema tem fundamental importância para a sustentabilidade do planeta e pode beneficiar tanto o público urbano quanto rural que visita a Exposol", destaca.

O sistema de energia fotovoltaica, cuja fonte é a energia solar, é 100% limpo e oferece benefícios econômicos, ambientais e sociais, como minimizar as quedas de energia, aliviar o sistema elétrico e diminuir os gastos que os agricultores têm com energia elétrica, além de ser uma fonte natural de energia.

Existem dois sistemas: o Autônomo e o Conectado, sendo que ambos podem ser instalados nos estabelecimentos rurais. O Sistema Autônomo utiliza baterias para o armazenamento da energia gerada pela luz do sol, que pode ser utilizada para bombear água ou alimentar sistema de resfriamento de leite durante as quedas de energia, por exemplo. Já o Sistema Conectado é ligado na rede elétrica. Nesse caso, é realizada a troca do relógio de leitura convencional e gerado um relatório da energia que entra e sai da rede elétrica da propriedade. 

Assim, nos meses em que a geração de energia elétrica é maior do que o consumo na propriedade, o sistema injeta o excedente na rede da concessionaria. Já nos meses em que o consumo é maior do que a geração, o sistema retira energia elétrica da rede da concessionária, desde que isto aconteça num período máximo de 60 meses. Desta forma o produtor terá a redução no valor da conta de energia elétrica, além da possibilidade de melhorar a qualidade da energia disponibilizada na localidade onde reside. 


Para instalar os sistemas é preciso estar atento a algumas especificidades como, por exemplo, um local com boa insolação para o lado norte e sem arborização próxima para que a luz solar possa atingir as placas. O Sistema de Energia Fotovoltaica pode ser financiado a juros subsidiados pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), numa linha denominada Pronaf ECO. No Rio Grande do Sul pode ser financiado pelo Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento dos Pequenos Estabelecimentos Rurais (Feaper). Para tanto, o agricultor precisa de um projeto técnico elaborado por uma empresa regulamentada na área e, na sequência, a Emater/RS-Ascar faz o projeto de crédito. 

Os agricultores interessados na instalação do sistema de energia fotovoltaica, podem fazer uma simulação nos escritórios municipais da Emater/RS-Ascar. A partir dos dados de consumo da conta de energia elétrica é possível ter a noção do tamanho de placas necessárias para cada propriedade.

O assistente técnico (ATR) na área de recursos naturais do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Soledade, José Claudio Secchi Motta, explica que o retorno financeiro da instalação desse sistema começa em torno de quatro a seis anos no meio urbano. Já nas zonas rurais, onde a energia é mais barata, o custo de instalação do sistema se paga entre seis e nove anos. "Como estes equipamentos possuem uma durabilidade média de 30 anos, a economia com energia elétrica se estenderá por mais de 20 anos. Além disso, é somado a essa economia o baixo custo de manutenção, já que dificilmente algum dos componentes apresenta algum problema", enfatiza Motta.

Emater na Exposol

Além da exposição na área externa, será realizado no domingo (30/04), a partir das 15h, no Museu da Pedra e Mineralogia Egisto Dal Santo, uma palestra sobre a “Energia Fotovoltaica”, ministrada pelo engenheiro elétrico, Thiago Chini Eifert. A Atividade é uma promoção da Emater/RS-Ascar em parceria com a Integra Energia Solar, empresa responsável pela instalação do sistema fotovoltaico no espaço da Instituição.

A Emater/RS-Ascar também estará presente no Pavilhão da Agroindústria Familiar no qual é Instituição coordenadora juntamente com a Secretaria do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR) e Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR). Serão 55 expositores de todo o Rio Grande do Sul no Pavilhão com produtos das Agroindústrias Familiares, artesanato rural e floricultura. Além disso, outros 22 expositores estarão presentes no Pavilhão do Artesanato.


Comentários