China inaugura usina solar em formato de panda


Foi inaugurada esta semana mais uma usina de energia solar na China, esta por sua vez, um tanto quanto diferente, pois, visto de cima, ver-se que os painéis fotovoltaicos foram dispostos formando o desenho de um panda gigante, animal característico do país asiático. A usina foi construída em Datong, na província de Shanxi, no norte da China.

Ícone nacional chinês, o panda gigante, simpático mamífero comedor de bambu, habitava todo o sul e leste da china, que com a expansão urbana e o desenvolvimento, limitou a população da espécie às poucas áreas que mantiveram florestas de bambu, tornando-se uma espécie ameaçada de extinção.

Foi assim que este animal super carismático tornou-se também, um símbolo da conservação ambiental, que por meio dos esforços de ambientalistas chineses, que recriaram as florestas de bambu, principal fonte de alimentação dos pandas, e promoveram a retirada do mamífero da lista de espécies ameaçadas de extinção.

A usina solar dialoga com a figura do panda, que por ser uma energia abundante e limpa, vem se destacando e substituindo outras fontes de energia prejudiciais ao meio ambiente, sem agredir o planeta, ajudando na redução da produção de gases poluentes que causam o efeito estufa.

A usina solar Datong Panda, que começou a ser construída em novembro de 2016, é o resultado de uma parceria entre a empresa chinesa China Merchants New Energy – CMNE (um dos principais investidores em energia solar do país) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Ela ocupa uma área de 248 acres (equivalente a 140 campos de futebol) e tem capacidade instalada de 100 megawatts, destes, 50 MW já foram conectados à rede.

Segundo a CMNE, quando a usina estiver com 100% de sua capacidade instalada em funcionamento, poderá gerar 3,2 bilhões de kWh (quilowatt-hora) de energia verde, em 25 anos, o que representa uma economia de 1,056 milhão de toneladas de carvão ou uma redução de 2,74 milhões de toneladas de dióxido de carbono.


A empresa pretende nos próximos cinco anos implementar o programa “Panda 100” construindo usinas solares de mesmo estilo em diferentes regiões da china. Para a empresa, a iniciativa tem grande importância para a implementação de energia verde, a comunicação deste conceito e a transformação de energia.

Por ser uma grande potência mundial, a China que é grande emissor de gases poluentes, vem investindo intensamente em produção de energia renovável, sendo hoje líder no mercado, superando a Alemanha. O país que tem o pior índice de poluição do ar, é também o maior produtor de energia limpa do mundo, 77 gigawatts, e pretende instalar mais de 110 gigawatts até o final de 2020, investindo cerca de 364 bilhões de dólares, segundo o plano de desenvolvimento solar traçado pela agência de energia chinesa.

Postar um comentário

0 Comentários