Santa Catarina lança o primeiro carro elétrico desenvolvido totalmente no Estado


O Estado já conta com uma montadora de carros elétricos. É a Mobilis, de Palhoça. Caso a britânica Velfera venha mesmo para Joinville, Santa Catarina terá duas montadoras do segmento e, no futuro, pode ter três porque a BMW também deve fazer esses carros em Araquari. Fundada pelos engenheiros mecânicos Mahatma Marostica, Thiago Hoeltgebaum e o engenheiro eletricista Paulo Bosquieiro Zanetti, a Mobilis Veículos Elétricos lançou o Li (foto), o primeiro carro elétrico desenvolvido totalmente no Estado. 

Fizeram um, o segundo está sendo montado para uma indústria e a empresa busca aporte de recursos para iniciar a produção em série. Oferece veículo interno ou off-road. Falta homologar freio ABS e Airbag para poder trafegar na rua, como os demais. Preço ao consumidor: R$ 45 mil.

Futuro do etanol

O mundo automotivo está mudando e o governo brasileiro está finalizando o programa Rota 2030 para suceder o Inovar-Auto. A tendência maior para o futuro são os carros elétricos, mas para a CNI, o etanol, combustível mais ecológico, e a série de tecnologias em torno dele não devem ser abandonadas. O presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, que presidiu ontem reunião sobre o tema em Brasília, disse que é importante a Rota incluir o etanol para proteger esse ativo e estimular novos avanços tecnológicos. Côrte preside o Conselho de Política Industrial e Desenvolvimento Tecnológico da CNI.

Fiesc cobra concessões já 

Diante do sucateamento e engarrafamentos crescentes nas rodovias federais no Estado, o presidente da Federação das Indústrias(Fiesc), Glauco José Côrte (D) e o primeiro vice-presidente da entidade, Mario Cezar Aguiar (E) cobraram ontem do ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Wellington Moreira Franco, urgência nas concessões das BRs 470, 282, 280 e 101. Também alertaram sobre os riscos ao Estado com a concessão de trechos das BRs 282, 153 e 476 (PR), em trecho de Chapecó a Lapa, no Paraná. Se concedida, vai levar cargas de SC ao Estado vizinho e enfraquecer a economia local. Entre as sugestões, a Fiesc propôs um programa de concessão para manutenção de estradas.
 

Foto: Sergio Amaral / FIE

Saída da Fazenda 

Quando assumiu a Secretaria de Estado da Fazenda, o auditor fiscal da casa, Almir Gorges, tinha planos de ficar no cargo até a desincompatibilização do governador Raimundo Colombo, prevista para abril. 
Saiu antes para concluir um tratamento de saúde. Ele tem excesso de metais no corpo (chumbo). Não é um problema grave, mas para retirar é preciso internação, o que dificulta trabalhar ao mesmo tempo.

Comentários