Aneel autoriza aumento de quase 30% nas contas de luz da CEEE

Reajuste será de 29,29% para os consumidores e de 33,54% às indústrias.



A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou, em reunião na noite desta terça-feira (19), em Brasília, o reajuste anual nas tarifas de energia da CEEE. Com a decisão, haverá aumento de 29,29% para os consumidores residenciais e de 33,54% às indústrias. 

O acréscimo ultrapassa em 12 vezes o índice de inflação registrado até o momento em 2017, que é de 2,5%. A companhia argumenta que o reajuste é necessário devido à queda de receita e ao aumento dos investimentos.

O pedido da CEEE para aumentar as tarifas havia sido negado no final do mês passadoporque a companhia estava inadimplente. Nos últimos dias, a estatal renegociou dívidas com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e com a Eletrobrás, teve a inscrição no Cadastro Informativo de Créditos (Cadin) removido e, com isso, se tornou apta a aplicar o aumento.

Ao apresentar o caso, o relator, Reive Barros, fez um resumo da situação que levou ao aumento. Ele destacou que, na revisão tarifária de 2016, o valor foi reduzido para os consumidores — a diminuição média foi de 16,28%.

Para o relator, a queda de arrecadação, somada aos custos de transmissão e componentes financeiros, justificou a autorização para o aumento. Já o diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, pontuou que o atual reajuste sofreu influência da redução ocorrida no ano passado. 

— Isoladamente, é um aumento importante. Mas, se olharmos no conjugado 2016 e 2017, o reajuste é próximo de zero, e a tarifa está no patamar das outras empresas de energia do Rio Grande do Sul — alegou. 

A mudança nas tarifas valerá a partir da publicação no Diário Oficial da União. A aplicação não será retroativa a 22 de novembro, data em que estava previsto o reajuste anual. 

Hoje, a CEEE atende a aproximadamente 1,6 milhão de unidades consumidoras, o que corresponde a cerca de 4 milhões de pessoas, em Porto Alegre e outros 71 municípios gaúchos – incluindo as regiões Metropolitana, Litoral, Campanha e Sul. 

Com o reajuste, a diretoria da estatal espera melhorar a saúde financeira da CEEE-D, braço da empresa responsável pela distribuição de energia. Operando no prejuízo e com passivo econômico superior ao seu patrimônio, a CEEE-D corre risco de ter direito de executar o serviço cassado pela Aneel.

Simulação:

Consumo --> Quanto paga --> Quanto passará a pagar
  • 100 KWh --> R$ 74,33 --> R$ 96,10
  • 200 KWh --> R$ 148,67 --> R$ 192,22
  • 300 KWh --> R$ 223 --> R$ 289,31
  • 400 KWh --> R$ 297,34 --> R$ 384,43
Dicas para economizar

— Verifique o consumo da conta de luz com atenção a alguma distorção de um mês para outro. Se a conta subiu sem explicação, é preciso verificar se há existe alguma fuga de energia por problemas de isolamento de fios e instalações.

— Com a chegada do verão, aproveite o calorzinho para mudar a posição das estações do chuveiro para o verão. 

— Abandone a prática de ligar o chuveiro antes de entrar no banho. Isso pode duplicar o consumo de energia. 

— Troque as lâmpadas incandescentes e fluorescentes por outras de LED. Elas são mais caras na hora da compra, mas acabam se pagando em economia ao longo do tempo.

— Teste a vedação das borrachas da geladeira para evitar gastos desnecessários com energia. Para isso, abra a geladeira, coloque uma folha de papel entre a borda e a porta e feche. Se o papel cair, é preciso trocar a borracha.

— Ao escolher um ar condicionado, opte por aparelhos com a tecnologia Inverter, que gasta até 40% menos energia porque o compressor não é desligado.

— Quando chegar em casa em um dia quente, abra as janelas e as portas para o calorão dissipar antes de ligar o ar-condicionado.

Por MATHEUS SCHUCH

Comentários