Perspectivas da energia solar no Brasil em 2018

(Imagem: RenewEconomy)

Se comparada ao exterior, a geração de energia solar no Brasil é pouco explorada. Em outubro de 2017, o Brasil contava com 438,3 MW de potência instalada, o que corresponde a 15,7 mil instalações.* Para potencializar a geração de energia fotovoltaica, o governo brasileiro implementou leis de incentivo, entre elas a Chamada Pública (CP) ANEEL, a isenção de IPI e ICMS, desconto na TUST/TUSD. Isso quer dizer que a sua empresa pode se beneficiar desses incentivos para poupar. 

Em relação ao futuro, o Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE 2026), estima que a capacidade de geração de energia solar instalada no Brasil atinja 13 GW em 2026. Os estudos do Plano Nacional de Energia, elaborados pela Empresa de Pesquisa Energética, por sua vez, estimam que, em 2050, a potência gerada será de 78 GW.

Isso quer dizer que a sua empresa deve, desde já, ponderar o uso de energia solar, uma vez que ela apresenta, como principais vantagens, uma redução significativa na conta de luz e um certo retorno sobre o investimento.

Instalações Solares no Brasil 

Em 09/10/2017, o Brasil contava com 438,3 MW de potência instalada de geração solar, correspondentes a 15,7 mil instalações. 


Considerando todas as fontes de micro e mini GD, o setor comercial detém a maior participação em potência (37%), o residencial a maior participação em nº de usuários (75%), e o industrial a maior potência média por usuário (81 kW).


Considerando um indicador médio de 143 W/m², a potência instalada solar registrada em outubro/2017, equivale a um quadrado de 2.450 metros de lado (+40% de área de utilidades). A geração estimada é de 650 GWh (0,1% da oferta total de 2016 do Brasil).

Com respeito aos coletores solares para aquecimento de água, as informações indicam a existência de cerca de 13 a 14 milhões de m² instalados. Estimativas mostram uma demanda evitada de energia elétrica próxima de 1.300 GWh, pelo uso dos coletores, o que representa 0,2% da demanda total de energia elétrica de 2016.

Fonte: MME.

Comentários