O primeiro navio movido a lixo plástico: Plastic Odyssey


Apoiado pela Fundação Veolia, a equipe da Plastic Odyssey projetou um catamarã movido a energia a partir da reciclagem de resíduos plásticos em combustível. Um protótipo foi lançado em 15 de junho em Concarneau, Bretanha, na presença de Brune Poirson, Secretário de Estado do Ministro de Estado, Ministro da Transição Ecológica e Solidariedade, e do navegador Roland Jourdain.

"Todos os dias, 26 mil toneladas de lixo plástico são despejadas no oceano e, para impedir a liberação deste material em nossos oceanos, devemos agir na costa", disse Simon Bernard, ex-oficial da Marinha Mercante. equipe de engenheiros, este último imaginou a Odisséia de Plástico, um catamarã de 25 metros não exatamente igual aos outros.


É o combustível utilizado pelo barco que é original: é movido por um combustível produzido a partir de resíduos plásticos não recicláveis. Este processo único, que converte piroliticamente o plástico em diesel e gasolina sob a ação do calor, foi desenvolvido pela SARP Industries, uma subsidiária da Veolia.


Esta "oficina de reciclagem flutuante" irá circunavegar o mundo, parando em locais onde a poluição plástica da linha costeira é a mais marcante: a cada parada, os resíduos plásticos serão coletados, separados, depois transformados. Alguns dos plásticos serão processados ​​e reciclados em oficinas com empresários e artesãos locais; o resto será convertido em combustível para o navio.


Hoje é lançado um protótipo, antes da construção do barco que terá início em 2019. A partir de 2020, a expedição viajará pelo mundo durante três anos para conscientizar o maior número de pessoas a combater a poluição plástica.






Assista o vídeo:


Postar um comentário

0 Comentários