CAMPO BOM PROJETA USINA DE ENERGIA SOLAR NO RIO GRANDE DO SUL


Conforme divulgado ontem (13), a Energia Solar no Rio Grande do Sul projeta escrever um novo e belo capitulo. Conquanto, a Prefeitura de Campo Bom deve apresentar à Câmara de Vereadores, nos próximos dias, um projeto de lei que promete colocar o município na vanguarda de soluções inovadoras na gestão ambiental.

A ideia é transformar a área do antigo lixão da cidade, em uma usina de Energia Solar Fotovoltaica. A saber, localizado às margens da RS-239, no bairro Quatro Colônias. O investimento é avaliado em R$ 8,79 milhões, sendo que, será financiado pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul.

Em princípio, serão 11 subestações com total de 3.740 placas fotovoltaicas em uma área de 2,3 hectares. Desse modo, a estrutura deve ter capacidade de geração de energia estimada de 1.196.800 Wp (Wattpico). A previsão é uma economia entre R$ 97 mil e R$ 160 mil por mês em contas de energia elétrica. Contudo, o valor médio da fatura da luz do município é de R$ 102,4 mil por mês. Assim sendo, a previsão é de uma economia de R$ 1,22 milhão por ano.

Para a prefeitura, além da viabilidade econômica o empreendimento tem potencial social. Tornando nobre o uso de uma área impactada, além de no futuro servir de modelo para o País. Assim como, a usina também é apontada como uma possibilidade de centro de educação ambiental e capacitação profissional.

Legislativo favorável: Projeto tem força na Câmara de Vereadores.

O presidente da Câmara de Vereadores, Victor Souza, declarou ser favorável ao projeto de implementação da usina. “Até porque há duas semanas assinamos o contrato para instalação de energia fotovoltaica aqui na Câmara”, justifica. De acordo com ele, essa obra vai permitir que Campo Bom tenha o primeiro legislativo do Brasil a captar, por meio de energia solar, 100% da demanda que precisa para abastecer sua estrutura física.

“Portanto, Campo Bom esta dando um passo enorme para se tornar uma cidade sustentável, algo inédito no País”, avalia.

Fonte: JornalNH.

Postar um comentário

0 Comentários