Indonésia construiu o seu primeiro parque eólico


O primeiro parque eólico da Indonésia celebrou o seu comissionamento numa cerimônia em Julho. O país está entre os que mais consumem energia.

O primeiro parque eólico da Indonésia celebrou o seu comissionamento numa cerimônia em Julho. O país está entre os países onde o consumo de energia mais cresce, e o desenvolvimento de projetos de energia eólica é uma fonte de orgulho nacional.

O primeiro parque eólico da Indonésia celebrou o seu comissionamento numa cerimônia em Julho. O país está entre os países onde o consumo de energia mais cresce, e o desenvolvimento de projetos de energia eólica é uma fonte de orgulho nacional.

O primeiro projeto de energia eólica em grande escala é o parque eólico Sidrap I com 30 turbinas eólicas (G114-2.5 da Siemens Gamesa) que perfazem 75MW de potência instalada e localizado na ilha de Bornéu.

Segundo o fabricante, é a primeira vez que este modelo de turbinas está a ser instalado na Ásia. O parque eólico de 130 milhões de euros pertence e é operado pela PT UPC Sidrap Bayu Energy, uma joint venturecriada entre a UPC Renewable, a PT Binatek Energi Terbarukan e a AC Energy Holdings.

Este projeto é apenas a primeira fase de um projeto maior de energia eólica e solar com auxílio de baterias. Em relação ao financiamento para o projeto, os 130 milhões de euros vieram da empresa americana Overseas Private Investment Corporation e da empresa japonesa Sumitomo Mitsui Banking Corporation.

Como parte do acordo de 300MW, entre a UPC Renewable e a South Sulawesi, o parque eólico Sidrap I tem um contrato de compra de energia com a duração de 30 anos com a empresa estatal PLN.

Parque eólico Sidrap I

Entretanto, a Siemens Gamesa, empresa fornecedora das turbinas eólicas para este projeto, disse que a Indonésia é um país com alto potencial para a energia eólica. Para além disso, a empresa vai ainda fornecer as turbinas eólicas para um novo projeto (Tolo I da IPP Equis Energy com 72MW) que irá surgir na província de Sulawesi.

As metas para o corte de emissões pode ser facilmente atingidas reduzindo a dependência do carvão e aumentando o investimento em energia limpa e renovável. E, o país estabeleceu uma meta adicional para adicionar 35GW de capacidade de energia até 2020, dos quais 23% serão fornecidos por fontes renováveis.

O país do sudeste asiático também recebeu uma proposta de fornecimento de energia limpa de uma central híbrida de 6GW, com energia eólica e solar, da Austrália que seria transportada através de cabos submarinos.

Postar um comentário

0 Comentários