Canoa Solar com motor elétrico na Amazônia ajuda comunidades a navegar sem combustível


Uma canoa alimentada por energia solar vem percorrendo, desde abril do ano passado, cerca de 67 km pelos rios Capahuari e Pastaza, no Equador, ligando os 9 assentamentos Achucar isolados localizados às margens destes rios. A canoa, chamada de Tapiatpia, tem este nome em homenagem à um lendário peixe-elétrico da área, percorre o território por suas rotas ancestrais, facilitando o deslocamento entre as tribos, conservando a cultura da comunidade, e facilitando suas vivências em harmonia com o meio ambiente. O projeto, que está em fase inicial, se for bem-sucedido, poderá ser implantado em outros rios da bacia amazônica.



O projeto Kara Solar (Kara significa "sonho" em Achuar), em parceria dos Achuar e a Fundação ALDEA (Associação Latino-Americana para o Desenvolvimento Alternativo) e a Plan Junto (empresa que se encarrega do aspecto comunitário), foi idealizado pelo Norte Americano Oliver Utne, que depois de conviver com a comunidade durante muitos anos verificou que esta seria uma das maiores necessidades dos indígenas. Ele explica que “A canoa solar é uma solução ideal para esse lugar porque aqui não há rede de rios navegáveis, interconectados e há uma grande necessidade de transporte alternativo” e completa “"Como a gasolina só pode chegar aqui por avião, custa cinco vezes mais que no resto do país”.



Para estender sua vida útil, a canoa foi fabricada em fibra de vidro, e mede 16 metros de comprimento e dois de largura, possui 32 painéis solares dispostos em seu teto eum motor elétrico da Torquedo. O modelo com desing típico das embarcações indígenas, foi o que melhor se adaptou às condições amazônicas, em uma mistura de tecnologia moderna e conhecimento ancestral.

O funcionamento do primeiro sistema comunitário fluvial solar dessa parte da Amazônia como rotas, os horários, o porto central, entre outros assuntos relativos a seu funcionamento, foi decidido pelas próprias comunidades, com ajuda da Plan Junto.



A canoa solar, pouco a pouco está mudando a vida da comunidade, seja auxiliando os jovens Achucar no deslocamento até a escola local, como também, no deslocamento ao centro de saúde da comunidade.

Além das vantagens econômicas de um transporte de custo baixo, esta é uma iniciativa sustentável e de baixo impacto ambiental, o que é importante para essas comunidades que vivem principalmente da caça, da agricultura de subsistência e a da pesca.

Postar um comentário

0 Comentários