Canudos descartáveis e as soluções possíveis

Empresários se juntam à luta contra os plásticos descartáveis e lançam modelos de canudo biodegradável, compostável e até comestível

Imagem: Canudo comestível Lolistraw

Os canudos de plástico se tornaram um grande problema ecológico. Eles já representam 4% de todo o lixo plástico produzido no mundo e, como são feitos dos plásticos polipropileno e poliestireno, não são biodegradáveis e sua reciclagem é difícil. Eles podem levar até mil anos para se decompor no meio ambiente. Mas será que são mesmo necessários? O mercado tem se ajustado à luta contra os descartáveis e começam a surgir alternativas. O canudo de papel é cada vez mais comum e já existem também modelos de canudinho biodegradável e até comestível.

O canudo de plástico é um item a ser evitado. Mesmo quando descartado corretamente, ele pode escapar para a natureza e ser carregado pela chuva para mares e rios, impactando toda a fauna aquática. Estima-se que 90% das espécies marinhas tenham ingerido produtos de plástico em algum momento. Além disso, nas praias e mares, esses canudos são também fonte de formação de microplástico, o pior formato possível para o plástico e que já está presente nos alimentos, no sal, na água potável e até em garrafas de água mineral! 

Preocupados com o meio ambiente e com os impactos do lixo plástico, alguns empresários já lançaram alternativas ao canudo de plástico. O canudo de papel é cada vez mais presente, já que é uma opção biodegradável, mas ele também acaba sendo fonte de poluição até sua completa biodegradação, já que o modelo foi pensado como um descartável. Opções melhores são os canudos comestíveis e os modelos de canudo compostável.

Conheça algumas alternativas disponíveis ou em fase de implementação:

1) EcoNudos


O modelo brasileiro é desenvolvido por uma startup paraibana num modelo de canudo em inox e em vidro que já está em comercialização no mercado local. Os canudos são reutilizados com a possibilidade de reuso ilimitadamente, o próximo passo é o uso de materiais recicláveis que passam por um processo complexo de descontaminação e com isso podendo amenizar o impacto ambiental. Os modelos poderão ser utilizados em todos os tipos de bebidas sem modificar o saber delas. O kit vendido compõem uma mini escova para fazer a higienização sempre que utilizar. Os canudinhos também podem ser personalizados através do site da empresa, que entrega sem custos no Brasil.

2) Sorbos


O modelo espanhol é um canudo comestível que já está em comercialização. Os canudos são 100% biodegradáveis e fabricados nos sabores morango, laranja, limão, canela, gengibre e maçã verde. Eles não alteram o sabor da bebida e não tem adição de açúcares. Os canudinhos também podem ser personalizados através do site da empresa, que entrega sem custos na Espanha e em Portugal.

3) Hay Straws


Nos Estados Unidos, também já é possível comprar canudos feitos a partir de talos de trigo. A matéria-prima é um subproduto natural da plantação comercial de trigo, de modo que o canudo não é um competidor de recursos com a indústria alimentícia. O canudo é biodegradável e compostável.

4) Wisefood


O engenheiro de alimentos Konstantin Neumann e seus colegas Universidade de Hohenheim, na Alemanha, criaram canudinhos comestíveis feitos a partir dos resíduos da produção alemã de sucos de maçã. A Alemanha produz cerca de 100 toneladas de resíduos de maçã por ano em sua indústria de sucos e essa matéria orgânica seria suficiente, segundo os pesquisadores, para substituir 50% de todos os canudinhos de plástico usados no país. O canudo lançado pela Wisefood tem sabor morango e um sabor limão está em desenvolvimento, ele é biodegradável e comestível e já tem sido vendido para restaurantes, hotéis e supermercados.

5) Lolistraw


Outro produto em fase de desenvolvimento é o Lolistraw, que criou uma campanha de crowdfunding para sua viabilização. Idealizado por duas designers industriais que já trabalham com copos comestíveis, o canudo está em fase de testes e deve começar a ser enviado para os apoiadores da campanha no meio do ano. Ele será comestível, compostável e 100% biodegradável.


Postar um comentário

0 Comentários