Escócia bate recorde de energia produzida pelas fontes renováveis


A Escócia tornou-se líder mundial no fornecimento de energia elétrica a partir de fontes renováveis, após o ano recorde de 2017.

O país obteve mais de dois terços (68,1%) da energia elétrica através das fontes renováveis, o que representa um aumento de 26% em relação ao ano anterior.

O valor aumentou 14,1% em relação aos 54% alcançados em 2016.

O governo escocês afirma que o índice de 45% é maior que o equivalente aos restantes países do Reino Unido.

A produção de energia a partir da energia eólica aumentou 34% e das centrais hídricas aumentou 9%.


O ministro da energia escocês, Paul Wheelhouse, disse: “Esses números mostram que o setor da energia renovável da Escócia está mais forte do que nunca”. A Escócia tem vários projetos ainda a serem construídos, acrescentou.

Acredita-se que as novas estatísticas tornem a Escócia um dos países do mundo que mais utiliza a energia produzida com recurso a fontes renováveis, evitando o uso de combustíveis fósseis conhecidos pelos seus efeitos negativos nas mudanças climáticas.

Há uma diferença entre a quantidade de energia renovável produzida por um país e a percentagem dessa energia que é realmente consumida, visto que muitos países importam e exportam energia.

Embora tenham sido reveladas poucas informações detalhadas sobre a energia elétrica que é produzida em cada país e a quantidade de energia limpa que é consumida, em 2016, por exemplo, a energia renovável nos EUA representava 15,6% da produção elétrica total do país, segundo o Departamento de Energia dos EUA.

Os números da Agência Europeia do Ambiente mostram que, no ano de 2016, a Islândia e a Noruega superaram em muito os outros países da UE na sua quota de energia renovável consumida, representando 86%. O Reino Unido e a Irlanda ficaram classificados nos últimos sete lugares da UE, com menos de 9%.

A União Europeia estabeleceu um objetivo de produzir 20% da sua energia utilizada a partir de fontes renováveis até 2020.

O Eurostat, departamento estatístico da União Europeia, diz que a Suécia teve a participação mais alta em 2016, com mais de metade (53,8%) da sua energia consumida ser proveniente de fontes renováveis.


Estava à frente da Finlândia (38,7%), da Letónia (37,2%), da Áustria (33,5%) e da Dinamarca (32,2%). No extremo oposto da classificação, com as menores participações de energias renováveis estava Luxemburgo (5,4%), Malta (6%) e Holanda (6%).

O relatório REN21 Renewables 2017 disse: “Até ao final de 2016, os principais países com maior capacidade instalada de energia renovável continuam a ser a China, Estados Unidos, Alemanha e Canadá”.

De acordo com a empresa de energia australiana Click Energy, a Islândia produz a eletricidade mais limpa por pessoa na Terra, com quase metade da energia ser proveniente de fontes renováveis. “Agora, deriva toda a sua energia para eletricidade e aquecimento doméstico a partir de centrais geotérmicas e hidroelétricas”.

A Suécia é a segunda, com o objetivo de se tornar 100% renovável.

A China teve o maior consumo mundial de energia renovável em 2016, o equivalente a 86,1 milhões de toneladas métricas de petróleo, de acordo com as estatísticas do portal Statista.

Postar um comentário

0 Comentários