O primeiro parque eólico na Extremadura entrará em funcionamento no início de 2019


O parque eólico de Merengue, em Plasencia, começará a operar no início do próximo ano de 2019, com uma produção de 40 megawatts (MW) e produzirá cerca de 155 GWh por ano, equivalente ao consumo anual de eletricidade de 44.000 residências.

A subsidiária de energia renovável da Naturgy está construindo este parque eólico, que envolverá um investimento de 40 milhões de euros e, durante sua construção, está criando cerca de 250 empregos.

Isto foi destacado nesta sexta-feira na visita feita aos trabalhos do Ministro da Economia e Infraestrutura da Junta de Extremadura, Olga García; o diretor de desenvolvimento de geração da multinacional, Carlos González; o chefe de desenvolvimento da subsidiária renovável da Naturgy na Extremadura, Ana Ruíz, e o prefeito de Plasencia, Fernando Pizarro, entre outras autoridades.

Em seu discurso, a Ministra da Economia e Infraestrutura, Olga García, mostrou-se satisfeita com o andamento do trabalho, que está de acordo com o programa planejado, mas também porque o projeto é resultado da colaboração entre as diferentes administrações, e acompanhamento permanente »com os promotores desde o início.

"É importante porque temos um parque de energia renovável diversificada, composta por fotovoltaica para energia solar térmica, também temos de biomassa e um grande parque aquático", observou o ministro da Economia e Infra-estrutura, que disse que "faltou energia eólica" a região, para a qual enfatizou que o executivo regional está "feliz em incorporá-lo ao nosso mix renovável".

Neste sentido, Olga García adiantou que existem outros projetos de energia eólica na região, mas numa fase administrativa muito incipiente "como se se aventurar se todos os promotores decidissem avançar".

PERSPECTIVAS ILUSIVAS

Além disso, o ministro da Economia e Infra-estrutura apontou que toda vez que há mais interesse por empresas do setor para investir na Extremadura, então, em sua opinião, as perspectivas futuras são "muito emocionante", informa a Junta de Extremadura em comunicado de imprensa.

Ele explicou que os investimentos renováveis ​​entre 2018 e 2019 podem ultrapassar dois bilhões de euros, com uma capacidade instalada, principalmente fotovoltaica, de 1.800 megawatts.

Assim, e olhando para o horizonte 2030, Extremadura "tem muito a contribuir para a meta estabelecida pela Espanha entre 50.000 e 60.000 adicionais para existente renovável", disse Garcia, que ressaltou que "as características da região, o nosso potencialidades e a velocidade que conseguimos implementar no processo administrativo na resolução dos arquivos, o que torna uma Comunidade mais atraente para os investidores ”.

Notavelmente, além do Merengue eólico, a empresa está desenvolvendo outros projetos em Extremadura, como a usina fotovoltaica Las Jaras, localizado entre La Albuera e Badajoz com uma capacidade de 50 MW, ou usina fotovoltaica Miraflores, no município de Castuera , que terá capacidade instalada de 20 MW.

Da mesma forma, a Naturgy está estudando vários projetos para desenvolver na região, o que confirma o compromisso da empresa com a Extremadura.

Postar um comentário

0 Comentários