Energia solar no Piauí recebe investimento de US$ 1 bilhão


O Brasil, sentindo a necessidade de mudar a sua matriz energética, tem desenvolvido um processo atrativo e bem estruturado de Leilões de Energia de Reserva de fontes alternativa. Agora é a vez da Energia Solar Fotovoltaica.

O secretário estadual de Minas, Petróleo, Gás e Energias Renováveis, André Quixadá, afirma que não chamam o Piauí de ‘filha do sol do Equador’ à toa. Segundo ele, é o Estado que apresenta o maior potencial solar do país, além de possuir pontos fortes de transmissão de energia com uma malha que corta o Estado de Norte a Sul, Leste a Oeste.

De acordo com o secretário, os investimentos em energia solar, por meio de grandes multinacionais, no Estado do Piauí alcançam o volume de mais de US$ 1 bilhão.

André Quixadá diz que o Estado possui mais de 300 microprodutores em operação e mais de 600 em fase de instalação. “O que só comprova nossa vocação”, declarou.

Ele lembra que o primeiro Leilão de Energia de Reserva Solar Fotovoltaico ocorreu em 2015.

O Piauí tem hoje grandes empresas investindo nesse setor, como a empresa italiana Enel, por meio de sua subsidiária Enel Green Power Brasil Participações, que construiu a usina de energia solar de Nova Olinda, no município de Ribeira do Piauí. O parque tem 292 MW de capacidade instalada e teve investimentos de US$ 300 milhões.

A empresa Gran Solar construiu as usinas Sertão I e Sobral I, no município de João Costa, com 60 MW de capacidade instalada com investimentos da ordem de US$ 66 milhões.

Dando continuidade ao processo de atração de investimento em energia solar fotovoltaica foi realizado o 2º Leilão de Energia de Reserva, por meio do qual o Piauí teve 55 empreendimentos cadastrados, habilitados e arrematados na Empresa de Pesquisa Energética. Empresas como Enel Green Power e Grupo Celeo Redes estavam entre os vencedores e estão implantando suas usinas no Piauí, com capacidade a ser instalada de 2057 MW.

Postar um comentário

0 Comentários