Alemanha, um mercado estratégico para a Iberdrola


O projeto Baltic Eagle, foi concebido no ano passado no segundo concurso de energia eólica offshore realizado pela Agência Federal de Redes (Bundesnetzagentur) é o segundo maior projeto de energia eólica offshore que a Iberdrola realizou na Alemanha.

A Alemanha tornou-se para a Iberdrola num dos principais mercados estratégicos neste setor de atividade, conectou com sucesso o parque eólico Wikinger, com 350 MW, no final de 2017.

Juntamente com a Wikinger e a Wikinger Süd, a Baltic Eagle será possível concretizar este projeto que será o maior parque eólico offshore do Báltico, com uma capacidade total instalada de 836 MW e um investimento acumulado de 2.500 milhões de euros.

O novo projeto terá capacidade para produzir energia suficiente para fornecer 45% do consumo total de eletricidade no estado de Mecklenburg-Vorpommern e evitar a emissão de 1,65 milhões de toneladas de CO2 por ano, o que irá contribuir para o cumprimento das metas de redução de emissões da Alemanha.

A energia eólica offshore estabeleceu-se como uma das principais linhas de negócio da Iberdrola, que tem uma carteira de mais de 9 gigawatts (GW) e cerca de 3 GW em operação, de contratos de construção ou de longo prazo já garantidos.

Até 2022, espera-se que grandes investimentos sejam garantidos, nomeadamente no Reino Unido, Estados Unidos, Alemanha e França.

Desde 2014, a Iberdrola possui a operação do eólico offshore oeste da Duddon Sands (WODs) de 389 MW no mar da Irlanda e, desde 2017, Wikinger, 350 MW no mar Báltico alemão.

Atualmente, a Iberdrola está a construir o parque marinho East Anglia One, de 714 MW, também em águas britânicas do Mar do Norte.

Postar um comentário

0 Comentários