Argentina está no topo do ranking de PV latino com projeto planejado de 600MW


A Argentina parece pronta para quebrar os recordes fotovoltaicos da América Latina depois que os planos foram confirmados para um projeto solar de 600MW no semi-árido noroeste, o dobro da meta inicial. 

O presidente Mauricio Macri disse em uma conferência de imprensa na última sexta-feira esforços para expandir ainda mais o projeto Cauchari, inicialmente destinado a entregar três usinas de 100 MW - mais uma quarta revelada no início de 2017 - na província de Jujuy.

“Estamos indo para outros 200MW, com o mesmo projeto, o mesmo consórcio. Será impressionante ver mais de um milhão de painéis a mais de 4.000 metros de altitude ”, disse Macri ao se dirigir a jornalistas na capital da província, San Salvador de Jujuy.

Falando a seu lado, o governador de Jujuy, Gerardo Morales, compartilhou o último cronograma para as obras, conjuntamente realizadas entre a concessionária provincial Jemse, a Shanghai Electric e a Power China. "Cerca de 150MW estarão prontos até maio, seguido de todo o projeto [300MW] em agosto", explicou Morales.

Ele disse que as expansões devem atingir 500MW até o final de 2020, seguidas por mais 96MW que estão sendo coordenadas pela distribuidora de energia Ejesa, de Jujuy. "Até o final do próximo ano, a Cauchari deve fornecer 600MW ao sistema", acrescentou o governador.


Caso os números de capacidade se concretizem em 2020, eles representariam uma adição exponencial aos 795 MW de operação PV Argentina hospedada em fevereiro de 2019.

Os primeiros 300MW da Cauchari foram apoiados pela primeira rodada do programa de leilões RenovAr em 2016 e por um bônus verde de US$ 210 milhões. Como os 300MW adicionais serão suportados permanece, no entanto, desconhecido por enquanto; o próximo leilão de energia eólica e solar, programado para maio deste ano, atenderá a projetos menores na região de tamanho de 0,5 a 10 MW.

Postar um comentário

0 Comentários