Brasil supera a marca de 1 GW em geração distribuída


Os sistemas de geração distribuída no país acabam de atingir a marca de 1 GW de potência instalada em residências, empresas, indústrias, produtores rurais e prédios públicos, segundo dados divulgados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Dessa potência, 870 MW correspondem a energia fotovoltaica.

O Brasil ultrapassou a marca de 1 GW de potência instalada em micro e mini geração distribuída. "Esse é um avanço importante, em grande parte proporcionado pela regulamentação da Aneel (Resoluções Normativas 482/2012 e 687/2015). Graças a essas ações, os consumidores podem gerar eletricidade a partir de fontes renováveis ​​ou de cogeração qualificada e fornecer o excedente para a rede de distribuição de sua localização ", afirma a Aneel em comunicado.

A fonte mais utilizada para micro e mini-geração distribuída, pelos consumidores brasileiros, é a solar fotovoltaica, com 82,6 mil micro e mini usinas e cerca de 870 MW de potência instalada. Em segundo lugar na potência instalada está a produção de usinas hidrelétricas (CGHs), com 86 usinas e 81,3 MW de potência.

Os estados que mais aderiram à micro e minigeração que excedem 10.000 unidades de consumo são Minas Gerais (16,7 mil unidades de geração e 212,3 MW de capacidade instalada), Rio Grande do Sul (12 mil unidades, 144 , 4 MW) e São Paulo (14,5 mil unidades, 117,4 MW). No total, são 82,9 mil usinas geradoras no país, com 114,3 mil unidades de consumo que recebem créditos pela energia gerada.

"Historicamente, a marca de 1 GW na Geração Distribuída é o resultado do trabalho da ANEEL para permitir o empoderamento do consumidor de eletricidade. Como reguladores, estamos preocupados em manter o equilíbrio do sistema, mas sempre com o objetivo de incorporar novas tecnologias. A geração distribuída é equivalente no setor elétrico à revolução dos smartphones nas telecomunicações ", disse André Pepitone, CEO da Aneel.

Postar um comentário

0 Comentários