Mercado fotovoltaico de média tensão de Marrocos vai abrir este ano

A legislação de energia renovável do país será atualizada para expandir a medição líquida de projetos conectados à rede de média tensão, abrindo caminho para uma onda de instalações descentralizadas.

Hoje é a última sessão do Fórum de Energia da África, que foi realizado em Lisboa. 
Imagem: Ilias Tsagas / pv magazine

Uma sessão de painel no Fórum de Energia da África, que termina hoje em Lisboa, examinou o mercado de energia do Marrocos e incluiu uma apresentação de Mohammed Ghazali, secretário-geral do Ministério de Energia, Minas e Desenvolvimento Sustentável.

Ghazali disse aos delegados que a Lei 13-09 sobre energia renovável será atualizada este ano para permitir a medição líquida de projetos de energias renováveis ​​que se conectam à rede de média tensão.

T ele legislação, atualmente, apenas permite projetos medidos líquidos ligadas à rede de alta tensão e que satisfaçam pelo menos 80% das necessidades de eletricidade anuais do usuário, garantindo a medição de líquidos está disponível somente para grandes consumidores industriais. Como resultado, apenas um pequeno número de projetos de energia eólica foi desenvolvido através do esquema de medição líquida.

Espera-se que uma mudança para a rede de média tensão seja um fator de mudança, com a maioria dos grandes consumidores de eletricidade conectados a essa rede.

Ponto de viragem

Harry Boyd-Carpenter, chefe de energia para a região da Europa, Oriente Médio e África no Banco Europeu de Reconstrução e Desenvolvimento (BERD) disse aos delegados em Lisboa que a energia renovável de Marrocos está agora em um ponto crítico.

Até o momento, ele disse, a nação desenvolveu principalmente projetos de grande escala. Agora, o BERD sente que o mercado se abrirá para esquemas menores através da Lei 13-09 alterada.

O BERD, disse Boyd-Carpenter, investirá no novo segmento do mercado porque os projetos de energia renovável no Marrocos são rentáveis ​​graças a um sistema bancário robusto e crédito barato. Marrocos, de acordo com o representante do BERD, oferece altos volumes de capacidade de geração de energia renovável a preços muito competitivos. Uma razão fundamental para isso, disse ele, é que o Marrocos definiu uma estratégia de energia renovável em um estágio inicial do desenvolvimento do setor, permitindo metas de longo prazo às quais o governo aderiu de maneira confiável.

O fato de o Marrocos ter promovido a apropriação local de projetos e o treinamento de pessoal local durante o desenvolvimento do setor foi outro fator de sucesso, acrescentou Boyd-Carpenter.

Alvos

O secretário-geral Ghazali disse ao fórum que o Marrocos instalou cerca de 2 GW de energia fotovoltaica, concentrando a capacidade solar e eólica e pretende atingir 10 GW até 2030, principalmente através de novas instalações fotovoltaicas e eólicas.

Da nova capacidade esperada, 1,2 GW poderia chegar na forma de PV descentralizada via rede de medição de rede de média tensão, acrescentou Ghazali.

O Marrocos atualmente gera 65% de sua energia a partir de fontes de combustível convencionais, principalmente termelétricas. A Hydro e, em menor escala, a energia solar e eólica, garantem que mais de 30% da energia da nação venha de fontes renováveis.

Postar um comentário

0 Comentários