A medição líquida ainda é fundamental para a DG na América Latina e no Caribe

Em um novo relatório do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), as métricas líquidas são definidas como uma ferramenta essencial para a promoção da geração distribuída de energia solar nos mercados fotovoltaicos da América Latina e do Caribe. Atualmente, existem quinze países que possuem esse esquema na região.

O sistema instalado no UTP conta com 2.070 painéis nos prédios 13 - Interdisciplinar, 14 - Medicina e 15 - CIDT e Treinamento Avançado, totalizando 600,3 kWp. 
Foto: Universidade Tecnológica de Pereira

As políticas de medição líquida para PV residencial, comercial e industrial ainda são necessárias em todos os mercados de geração distribuída na América Latina e no Caribe.

Isso é confirmado pelos autores do relatório "Implementação de políticas de medição líquida na América Latina e no Caribe: design, incentivos e melhores práticas", publicado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento.

Segundo eles, embora o desenho dos esquemas de medição de redes seja muito heterogêneo entre os quinze países da região que atualmente o implementam, sua ação é bem-sucedida em termos de desenvolvimento de novas capacidades.

Os autores do relatório também destacou como medição de líquidos é particularmente importante para os consumidores domésticos adotar a geração de energia distribuída na região onde "a luz do sol é uma grande vantagem para a viabilidade da geração de energia solar fotovoltaica."

O estudo também especifica que os esquemas de reembolso são mais atraentes para os usuários do que o cancelamento de créditos, acrescentando que a compensação de crédito através de uma taxa de varejo pode aumentar a remuneração de prosumers, mas ao mesmo tempo pode implicar limitações financeiras para o serviço elétrico. "Por outro lado, o preço de atacado pode reduzir a atratividade de um projeto fotovoltaico, mas reduz o risco para o serviço elétrico", disse o relatório.

Segundo especialistas do BID, no entanto, um projeto fotovoltaico com baixa taxa de retorno ainda seria lucrativo em muitos casos na região.

Postar um comentário

0 Comentários