Colômbia ratifica sua intenção de atingir 1.500 MW de energia renovável instalada em 2022

Durante a reunião preparatória da Cúpula de Ação Climática das Nações Unidas, na terça-feira, o ministro de Minas e Energia reiterou que a capacidade instalada na Colômbia será de pelo menos 1.500 MW no ano de 2022. Espera-se também que a mineração - reduzir em 11,2 milhões de toneladas a emissão de CO2 durante o ano de 2030, equivalente à absorção feita pelo departamento do Amazonas em 15 anos.

A Ministra de Minas e Energia da Colômbia, María Fernanda Suárez Londoño, participou da reunião preparatória da Cúpula das Nações Unidas sobre a Ação Climática, em Abu Dhabi. Foto: Ministério de Energia e Minas da Colômbia

A Ministra de Minas e Energia da Colômbia, María Fernanda Suárez Londoño, participou de Abu Dhabi na reunião preparatória da Cúpula sobre a Ação Climática das Nações Unidas, que será realizada em 23 de setembro. Durante a reunião, o ministro reiterou o compromisso da Colômbia com o Acordo de Paris, assinado na Conferência das Partes (COP 21) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, visando a uma redução de 20% nas emissões. de gases de efeito estufa projetados para 2030.

"A Colômbia faz parte da coalizão global de transição energética e, a partir desse papel, liderará o estabelecimento de uma nova meta regional de energias renováveis. Embora o nosso país tenha a sexta matriz energética mais limpa do mundo, ainda estamos vulneráveis ​​a eventos de variabilidade climática. Por isso, a diversificação de nossa matriz de geração é uma necessidade que não pode ser adiada. Nestes quatro anos, deixaremos de instalar menos de 50 MW de energia alternativa, como solar e eólica, para pelo menos 1.500 MW de capacidade instalada ", afirmou o ministro.

Ele também explicou que o setor de mineração e energia é o primeiro no país a ter um Plano de Gestão Integral de Mudanças Climáticas, uma ferramenta que facilitará o desenvolvimento de estratégias para reduzir a emissão de gases de efeito estufa na indústria e mitigar o impacto. gerado pelas mudanças climáticas, baseado em três ações fundamentais: aumentar a eficiência energética, diversificar a matriz energética e desenvolver sistemas de medição que nos permitam conhecer os avanços e desafios.

"O objetivo do setor é reduzir a emissão de CO2 em 11,2 milhões de toneladas até o ano de 2030, equivalente à absorção feita pelo departamento do Amazonas em 15 anos", afirmou o ministro Suárez.

As Nações Unidas instaram seus países membros a avançar na universalização do serviço energético; Atualmente, cerca de 840 milhões de pessoas não têm acesso a esse serviço. Na Colômbia, o governo nacional promove a meta de levar eletricidade a 100 mil novos usuários, cerca de 500 mil colombianos, no atual período de quatro anos.

Postar um comentário

0 Comentários