O BID apóia o Grupo Bancolombia na emissão de um novo título sustentável

O BID Invest, membro do Grupo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), subscreveu totalmente um título em pesos colombianos no valor de 657.000 milhões (US $ 204 milhões) junto ao Grupo Bancolombia. É a primeira emissão de títulos sustentáveis ​​de uma entidade financeira privada na Colômbia.

Projeto híbrido solar-diesel leva eletricidade a 1.200 pessoas em Guainía, Colômbia. 
Ministério de Minas e Energia, Colômbia

O Bancolombia é o terceiro maior emissor de títulos sustentáveis ​​com um novo investimento privado. Essa nova emissão de títulos, no valor de 657.000 milhões de pesos (204 milhões de dólares), foi adquirida pelo BID Invest, membro do Grupo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), e terá mandato de cinco anos, seguindo o plano aprovado pelo Conselho de Administração em 25 de junho

Assim, o Bancolombia novamente utiliza títulos alternativos em sua alavancagem, já que anteriormente o banco alcançou uma emissão bem-sucedida de dois títulos verdes por US$ 300.000 milhões no mercado local em 2018 e outra emissão privada de títulos verdes por US$ 350,00 milhões adquiridos pela International Finance Corporation em 2016. Com esses resultados, a entidade atinge US$ 1,3 bilhão emitidos nessas iniciativas alternativas.

Os recursos da emissão serão distribuídos entre 26 projetos localizados nos estados de Magdalena, Antioquia, Vale do Cauca, Nariño, Bolívar, Santander, Cundinamarca e Tolima. Do total de projetos, oito são classificados como projetos sociais e se concentram em infraestrutura básica, social e habitação de interesse social. Os recursos de bônus beneficiarão 5.448 famílias em relação à moradia e mais de 10.500 pessoas, que terão acesso à água potável com um projeto de saneamento básico.

Os 18 projetos restantes são classificados como projetos ecológicos e se concentram na construção sustentável, eficiência energética e produção mais limpa. O financiamento de 15 projetos de construção sustentável gerará uma economia estimada em água e energia de 30% em um ano. No caso dos dois projetos de eficiência energética, a economia média de energia será de 30% ao ano, enquanto um projeto de produção mais limpa terá uma economia anual de 20% em energia e água.

Há algumas semanas, a Findeter, da Colômbia, financiou o desenvolvimento territorial pela primeira vez no mercado colombiano por US$ 400 bilhões (US$ 125 milhões), com prazos de 5 e 7 anos e com uma taxa IPC + 2, 54% e CPI + 2,90%, respectivamente. A emissão recebeu reivindicações de US$ 1,03 bilhão (cerca de 430 milhões de dólares), ou seja, 3,44 vezes o valor oferecido.

Postar um comentário

0 Comentários