Panamá excede 500 MW em desenvolvimento

O portfólio de projetos em construção atingiu a marca de 500 MW após a concessão de três licenças provisórias pelo regulador, totalizando 30 MW. 

A usina fotovoltaica Divisa (Panamá), construída em 2015 e adquirida pela Celsia em 2018. 
Foto: Celsia

A Autoridade Nacional de Serviços Públicos (ASEP) do Panamá divulgou os dados mais recentes sobre a capacidade fotovoltaica instalada no país, que acrescentou 176 MW em maio, o equivalente a 5% da geração total. No entanto, se os projetos em desenvolvimento se materializarem, a contribuição para o mix poderá ser superior a 10%.

De acordo com dados da ASEP, no final de junho, 14 licenças solares definitivas foram concedidas para um total de 230 MW e 11 licenças provisórias, totalizando 261 MW.

A maioria licença definitiva corresponde a planta Penonomé, de 150 MW, que está construindo Avanzalia Panamá, a subsidiária local da espanhola Avanzalia, na aldeia El Coco e é esperado para começar a entregar o poder em 2020. Entre as licenças destaques provisórias o projeto Camarones, de 100 MW, da Fotovoltaica Sajalices.

O portfólio de projetos acaba de ultrapassar 500 MW com a concessão de três licenças provisórias, totalizando 30 MW pelo regulador.

As licenças mais recentes são fornecidos para na província de Chiriqui, e incluem projetos Mahogany Solar e Solar Cedro, 12,99 MWp cada AES Panamá solicitou e planta 12,5MWp de Pedregalito energia solar.

Recentemente, ocorreu a inauguração do que é atualmente a maior usina de energia solar do país, o Parque Solar Ikakos, de 40 MW.

Postar um comentário

0 Comentários