Togo se junta ao programa Scaling Solar para 90 MW

O governo do país africano assinou um memorando de entendimento com a Corporação Financeira Internacional para o desenvolvimento e construção de vários parques solares. Espera-se que os projetos sejam finalizados nos próximos dois anos.

Imagem: David Bacon, flickr

A International Financial Corporation ( IFC ), membro do grupo do Banco Mundial , e o governo do Togo concordaram em desenvolver conjuntamente vários projetos de energia solar com uma capacidade combinada de 90 MW.

O governo disse em comunicado divulgado que assinou um memorando de entendimento com a IFC para os projetos, no entanto os detalhes do projeto não foram divulgados. Ele disse que os projetos serão desenvolvidos sob a égide da iniciativa Scaling Solar, e que eles serão finalizados dentro de dois anos.

O governo acrescentou que a IFC apoiou anteriormente os esforços do Togo para implantar energia solar, financiando estudos que avaliam a capacidade potencial e de absorção da rede elétrica nacional e fornecendo apoio financeiro para avaliar o mercado de energia solar fora da rede.

A Scaling Solar é um esquema de “balcão único”, que suporta projetos de energia solar fotovoltaicos conectados à rede com financiamento privado e apoia o desenvolvimento de projetos com uma análise inicial legal, regulamentar e técnica. A iniciativa prepara e realiza o concurso para os projetos, apoiando os desenvolvedores com financiamento pré-aprovado.

Se implementados, esses novos projetos serão os primeiros desenvolvimentos solares em escala de utilidade pública no país africano, que até agora tem sido principalmente projetos de eletrificação solar rural. Em 2017, a República Togolesa lançou uma iniciativa destinada a levar energia solar para dois milhões de pessoas nas áreas remotas do país sem conexão com o sistema de energia até 2022. Desde março deste ano, o governo começou a oferecer descontos a famílias togolesas para cobrir custos iniciais. de sistemas fotovoltaicos autônomos. No início de 2018, a BBOXX, com sede no Reino Unido, ganhou um concurso para fornecer sistemas fotovoltaicos fora da rede a 30.000 lares togoleses. A gigante de energia francesa EDF adquiriu 50% das ações da empresa em outubro de 2018.

O Togo é um dos menores países da África, com uma população de aproximadamente 7,5 milhões e freqüente escassez de energia. De acordo com a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), o Togo está atualmente sendo abastecido por usinas térmicas, importadas da Nigéria e do Gana, e de algumas usinas hidrelétricas. A taxa de acesso do país ao poder está atualmente em torno de 28%. O governo espera aumentar esse percentual para 75% em 2020 e 100% em 2030.

Postar um comentário

0 Comentários