Os preços dos sistemas fotovoltaicos caíram 8% no Brasil no primeiro semestre do ano

A capacidade instalada cumulativa de instalações fotovoltaicas de até 5 MW de energia atingiu 958 MW no Brasil, segundo a consultoria Greener. Cerca de um terço dessa capacidade foi instalada no primeiro semestre deste ano. A maioria dos projetos de geração distribuída está sendo realizada com módulos PERC e meia célula.

Segundo relatório elaborado pela consultora brasileira Greener, os preços dos projetos fotovoltaicos no telhado e outros projetos fotovoltaicos de geração distribuída continuam em queda no Brasil.

Na primeira metade do ano, a capacidade total implantada de projetos fotovoltaicos de até 5 MW de tamanho foi de 366,2 MW. Isso foi suficiente para elevar a energia instalada cumulativa da geração de energia solar distribuída (DG) para 954,6 MW no final de junho, que quase igualou os 393,5 MW de capacidade solar em pequena escala adicionados ao longo do ano passado .

Os estados com maior potência instalada continuam sendo Minas Gerais, Rio Grande do Sul e São Paulo.

As importações de módulos e investidores continuam crescendo

O relatório também indica que 1.267 MW de painéis fotovoltaicos foram enviados ao Brasil no primeiro semestre, um aumento de 24% em relação ao volume que chegou no mesmo período do ano passado. Segundo o relatório, as importações trimestrais foram muito mais evidentes no segundo trimestre, quando atingiram cerca de 762 MW.

Os módulos policristalinos ainda representam 69% das importações de painéis, seguidos pelos módulos policristalinos PERC, com uma participação de 14%, e os módulos mono e mono padrão PERC padrão, com cotas de 11% e 6%, respectivamente.

Greener também relata um crescimento de 154% nas importações dos investidores, de 412 MW no primeiro semestre do ano passado para 1.069 MW no mesmo período de 2019. Analistas afirmaram que o aumento acentuado deveu-se principalmente ao segmento de a geração distribuída, na qual, no ano passado, foram enviados mais dispositivos produzidos no Brasil.

Os preços continuam caindo

O relatório acrescenta que a redução de custos no segmento de geração distribuída permaneceu constante, pois os preços médios caíram mais 8,9% durante o primeiro semestre.

O preço médio do projeto de 4 kW, por exemplo, caiu de BRL 5,23 (US$ 1,30) /Wp em janeiro para BRL 5/Wp em junho. Desse valor, BRL 1,89/Wp corresponde ao preço do sistema solar e o restante BRL 3,11 é representado pelos custos de instalação.

Para um sistema de 50 kW, o preço caiu de BRL 4,05/Wp para BRL 3,66, enquanto para uma instalação de 1 MW, a conta foi reduzida de BRL 3,62/Wp para BRL 3,26.

O governo brasileiro está apoiando a geração distribuída por meio do Contrato 16/15 (Contrato ICMS 16/2015), que isenta os proprietários de sistemas solares com capacidade de geração de até 1 MW para pagar o imposto estadual sobre as vendas de ICMS sob o regime de medição líquida, que é aberto a projetos de não mais de 5 MW.

O regulador nacional de eletricidade, ANEEL, pretende instalar 886,7 23 sistemas solares sob as regras de medição líquida até 2024.

Postar um comentário

0 Comentários