Solatio Energía construirá 7.212 MW de energia fotovoltaica no estado brasileiro de Minas Gerais

A empresa espanhola Solatio anuncia um investimento de R$ 21 bilhões (5,4 bilhões de dólares) que a empresa utilizará para desenvolver projetos diferentes de mais de 7 GW até 2023.

Uma usina fotovoltaica de Solatio. - Foto: Solatio

A Agência de Notícias de Minas Gerais publicou que a incorporadora espanhola Solatio Energia, que atua no Brasil desde 2009, planeja investir no estado brasileiro R$ 21 bilhões (5,4 bilhões de dólares) no desenvolvimento de diferentes projetos fotovoltaicos até 2023.

Pedro Vaquer, presidente da Solatio, se reuniu nesta semana com o governador Romeu Zema, para anunciar o investimento em usinas fotovoltaicas em dez cidades mineiras do estado, entre elas Araxá, Coromandel, Várzea da Palma, Janaúba, Arinos, Francisco Sá e Buritizeiro.

Do valor anunciado, a empresa espanhola garante que R$ 2,5 bilhões (637 milhões de dólares) são investimentos consolidados em Minas Gerais que serão utilizados para construir 782 MW. O restante do valor será investido na construção de 6.430 MW.

O presidente da Solatio disse ao governador Romeu Zema que cerca de 70% do projeto será concluído até o final de 2022. Os outros 30% estão previstos para 2023. “Estes são contratos que não precisam ser leiloados pelo governo porque são energia contratada no mercado. grátis”, afirmou Vaquer, que também garantiu que oito cidades mineiras terão seus projetos iniciados em dezembro de 2019, a saber: Bocaiúva, Pirapora, Paracatu, Corinto, Jaíba, Janaúba, Mirabela e Manga.

Em sua apresentação ao governador, Pedro Vaquer disse que a energia desenvolvida por Solatio atualmente poderia abastecer mais de sete milhões de casas. Um dos responsáveis ​​por essa grande conquista é a Usina Marambaia, em Pirapora, considerada a maior usina fotovoltaica da América Latina e a terceira do mundo. "Com os investimentos, as usinas de Arinos e Janaúba serão as maiores usinas fotovoltaicas do mundo", concluiu.

O governador Romeu Zema diz estar muito feliz por ter recebido esse anúncio, pois volta aos seus esforços para fazer com que Minas Gerais retome seu papel de líder na criação de empregos. “Um governo diferente é o que atrai investimentos, gera empregos e faz um estado eficiente. É para isso que estamos trabalhando em Minas Gerais ”, afirmou Zema durante a reunião.

Geração Distribuída

Segundo dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), Minas Gerais lidera o ranking nacional de geração distribuída, seguida pelo Rio Grande do Sul, São Paulo e Mato Grosso. Minas Gerais possui uma capacidade instalada de 173,9 MW, o que representa 18,9% da produção nacional.

A legislação estadual na forma de incentivos fiscais contribui para o sucesso da DG em Minas Gerais, que também isenta o ICMS na aquisição de quaisquer sistemas micro e mini-fotovoltaicos adquiridos em Minas Gerais.

Postar um comentário

0 Comentários