Anglo American lança projeto fotovoltaico flutuante em sua mina de cobre no Chile

O sistema solar de 86 kW deve gerar até 153 MWh de eletricidade por ano para cobrir parte das necessidades de energia da mina, além de contribuir para reduzir a evaporação da água na lagoa.

A instalação flutuante da Anglo American. - Imagem: Anglo American

A multinacional mineradora Anglo American anunciou o início de uma instalação fotovoltaica flutuante de 86 kW em uma mina de cobre no Chile.

Segundo a empresa em nota, é a primeira instalação fotovoltaica construída sobre um depósito de rejeitos no mundo inteiro. Os 256 painéis de 330 W estão localizados, disse a empresa, em uma ilha flutuante e estão conectados a uma sala de serviço, a partir da qual a energia que o sistema irá gerar diariamente será monitorada.

A usina solar, além de fornecer energia elétrica para a atividade de mineração, será usada para reduzir a evaporação da água na superfície de Las Tórtolas, a fim de aumentar a disponibilidade de recirculação no processo de mineração.

O especialista fotovoltaico flutuante francês Ciel & Terre e o integrador chileno Lenergie anunciaram o projeto em março.

A América do Sul tem potencial para implementar 36 GW de energia solar flutuante, de acordo com um relatório recente do Banco Mundial. O relatório Where Sun Meets Water também revelou que a capacidade instalada cumulativa global de usinas fotovoltaicas flutuantes era de 1,1 GW no final de setembro de 2018.

De acordo com outro estudo de Christian Breyer, professor de economia solar da Universidade de Tecnologia Lappeenranta, na Finlândia, uma usina hidrelétrica em um reservatório pode funcionar como uma carga virtual durante o dia, acumulando água para produção de energia quando não há luz solar.

Postar um comentário

0 Comentários