Brasil estabelece preço máximo de US$ 51/MWh para energia fotovoltaica no leilão A-6

Um total de 29,7 GW de projetos fotovoltaicos concorrerá no concurso, que será realizado no dia 18 de outubro. Os projetos solares selecionados devem começar a fornecer energia em 2025 e receberão um PPA de 20 anos.

Soltec

A agência reguladora brasileira ANEEL estabeleceu um preço máximo de BRL209,0 (US$ 51,0) / MWh para energia fotovoltaica no leilão A-6 previsto para 18 de outubro.

Foi atribuído à tecnologia eólica o menor preço máximo de BRL189 / MWh, enquanto o mais alto, BRL292 / MWh, foi estabelecido para projetos termelétricos. O preço máximo da energia hidrelétrica foi ligeiramente inferior ao da energia térmica, em cerca de BRL285 / MWh.

No leilão A-4, realizado no final de junho, o preço máximo da fonte solar foi de BRL276 / MWh. Este concurso foi concluído com 211 MW de energia solar alocada e uma oferta mais baixa de US$ 17,3 / MWh, que era na época, teoricamente, a menor oferta de preço de eletricidade já registrada para projetos de energia solar em larga escala em um leilão de energia. 

No entanto, esse recorde mundial foi questionado por vários analistas, que enfatizaram que essa oferta é apenas relativa à metade da energia gerada no projeto selecionado, uma vez que a maior parte da energia gerada será vendida sob um contrato de compra de energia privada para Longo prazo (PPA) para um cliente não especificado e provavelmente a um preço mais alto.

Para o próximo leilão A-6, a ANEEL reiterou que apenas os projetos hidrelétricos receberão um PPA de 30 anos, enquanto a energia solar e outras energias renováveis ​​terão direito a contratos de 20 anos.

A agência brasileira de energia, a Energy Research Company (EPE), pré-selecionou 825 projetos solares com uma capacidade total de geração de 29,78 GW para o leilão.

Esta será a primeira vez que o lote terá direito a participar do leilão A-6, depois de ter sido excluído no ano passado.

Os leilões A-4 e A-6 deste ano fazem parte do plano de leilão de energia de três anos apresentado pelo Ministério de Minas e Energia (MME) em março. Este plano inclui seis leilões de “nova energia”, para os quais o ministério agendou dois leilões por ano. Após junho, os leilões A-4 serão realizados em 23 de abril de 2020 e 29 de abril de 2021. As datas do leilão A-6 após setembro serão 24 de setembro de 2020 e 30 Setembro de 2021.

Postar um comentário

0 Comentários