Guatemala quer convocar outro leilão para 110 MW de terra

O gerente geral da companhia estatal de energia, INDE, anunciou que o leilão cancelado em agosto será chamado novamente, embora não tenha especificado a data. Antes disso, a empresa de gerenciamento de energia do estado deve enviar um Relatório de Detecção de Necessidades (IDN) ao Conselho de Administração.

Visão geral da cidade da Guatemala. - Foto: Marco Verch / Flickr

Carlos Beltetón, gerente geral da empresa estatal de energia da Guatemala, o Instituto Nacional de Eletrificação (INDE), anunciou ontem que deseja convocar outro leilão para a realização de várias usinas fotovoltaicas de grande escala, depois que um concurso para agosto foi cancelado. Instalação de 110 MW em parques solares.

Algumas horas após o novo anúncio, o INDE emitiu uma nota explicativa na qual especificava que o conselho de administração da empresa ainda não havia autorizado uma nova solicitação de licitação e que, para isso, é necessário cumprir as regras da mesma empresa que elas impõem que o mesmo gerente do grupo envie um relatório de detecção de necessidades (IDN) ao Conselho de Administração.

Na nota, o INDE confirmou o cancelamento do leilão lançado em maio, acrescentando que o concurso terminou sem adjudicação.

Conforme divulgado pelo portal Prensa Libre , no final de agosto, as duas propostas submetidas ao leilão foram desqualificadas por não atenderem aos requisitos estabelecidos nas condições de licitação. Os dois concorrentes foram Total Eren Guatemala, SA e Corporación Klondike, SA. O primeiro é uma subsidiária da empresa francesa Total Eren, que também é subsidiária da companhia Total, enquanto o segundo é uma subsidiária da empresa norueguesa Scatec Solar.

Por meio do concurso, a Inde procurou concluir a construção de cinco usinas fotovoltaicas nos municípios de Jutiapa, Zacapa, El Progreso e Santa Rosa através de um investimento entre 100 e 120 milhões de dólares.

De acordo com as estatísticas mais recentes publicadas pela Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA), o país da América Central possuía uma energia fotovoltaica instalada de 114 MW no final de 2018.

Postar um comentário

0 Comentários