Piauí, no Brasil, terá sistemas de dessalinização a energia solar

O Estado apresentou um plano de R $ 97 milhões (US $ 23,3 milhões) para o Programa de Água Doce, que inclui energia solar em novos sistemas e em 30% dos que já existiam. Será implementado em 10 estados.

Ana Raquel S. Hernandes / Flickr

O Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Piauí, no Brasil (Emater - PI) apresentou na última sexta-feira o novo plano de investimentos do Programa de Água Doce (PAD).

Esse programa é uma ação do Governo Federal, coordenada pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, em colaboração com instituições federais, estaduais, municipais e da sociedade civil, que visa estabelecer uma política pública permanente de acesso à água de qualidade para consumo humano. através do uso sustentável das águas subterrâneas. Será implementado nos estados do Piauí, Ceará, Alagoas, Bahia, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Minas Gerais e Sergipe.

A reunião realizada na semana passada busca discutir as ações do PAD nos dez estados em que está presente, além de realizar reuniões específicas para os componentes técnicos do programa, além da apresentação dos planos estaduais do PAD para o período 2020 - 2029.

No total, o novo plano apresentado busca um investimento de R$ 97 milhões (US$ 23,3 milhões) para a construção de sistemas de dessalinização de energia solar, e 30% dos sistemas existentes serão adicionados sistemas fotovoltaicos .

No Piauí, estão planejados 67 sistemas de dessalinização.

Postar um comentário

0 Comentários