Chile lança o primeiro empréstimo ao consumidor verde

Promovido pelo Ministério da Energia, Ministério das Finanças e Meio Ambiente, juntamente com o Banco Estado, destina-se a financiar projetos de eficiência energética e energias renováveis ​​para o lar. A taxa de juros é de 0,52%.


O ministro da Energia do Chile, Juan Carlos Jobet, juntamente com seus colegas do Tesouro, Felipe Larraín, e o Meio Ambiente, Carolina Schmidt, e o presidente do Banco Estado, Arturo Tagle, aprovaram nesta terça-feira o primeiro crédito de consumo verde do país.

A iniciativa, voltada para clientes e não clientes do Banco Estado, será utilizada para financiar projetos de eficiência energética e energias renováveis ​​para o lar, como isolamento térmico, energia solar, ar condicionado e ventilação eficiente.

O Crédito ao Consumidor Verde oferece uma taxa preferencial especial de 0,52% ao mês (a taxa dependerá da quantidade, prazo e avaliação de crédito, também está sujeito a variações de acordo com as condições comerciais em vigor no momento da concessão do crédito), financiamento a 100% do valor do projeto, até 90 dias para o pagamento da primeira parcela e até dois meses no ano, não consecutivos, do não pagamento destes.

Quem deseja acessar este produto deve ser sujeito a crédito e seu projeto deve ser certificado pela Agência de Sustentabilidade Energética.

Segundo o ministro da Energia, “[…] com a instalação de painéis solares, as famílias poderiam economizar até US $ 300 mil por ano (cerca de 411 dólares), o que significa entre 80 e 90% da conta mensal de energia elétrica. "

Esse produto se soma a outras iniciativas que o Banco Estado desenvolveu na mesma linha, como o Crédito Imobiliário Ecovivienda, que busca incentivar a construção e aquisição de residências eficientes em energia, e o Crédito Verde para PMEs, que fornece financiamento para investimentos em projetos; Financiamento de capital de giro para sua implementação.

Há alguns meses, o Banco Interamericano de Desenvolvimento anunciou ter apoiado o Governo do Chile na preparação da documentação e certificação necessárias para a emissão de um título soberano verde.

Postar um comentário

0 Comentários